quinta-feira, novembro 23, 2006

Absolut One-Dimensional Art






O projeto moderno é indissociável da crença de que as artes poderiam mudar o mundo.

A dissolução da arte na vida é a grande divisa do programa revolucionário que as vanguardas artísticas atualizaram de forma tão contundente. Desde então, a dimensão estética tem desempenhado a importante função de se rebelar contra a tirania do existente, reivindicando em seu lugar a chance de implementação de uma ordem menos repressiva, onde a liberdade poderia, quem sabe, fazer as pazes com a civilização. (Pelo menos, segundo Marcuse). Entretanto, o advento da sociedade de consumo -- notadamente a partir da década de 80, com a cooptação do potencial subversivo das artes pela forma-mercadoria -- tem propiciado as condições ideais para que o sentido da 'grande recusa' seja totalmente cancelado em nome das leis de mercado e suas irreversíveis(?) aspirações unidimensionalizantes. Absolut repressive dessublimation.

2 comentários:

dick clinch disse...

I'll drink to that.

raca disse...

qual será a possibilidade de ruptura da (arte ou produto cultural? ainda não me meto nesta briga) com o modelo mercadológico vigente?
com certeza o pensamento moderno visa a transformação também pela arte. minha questão é: será que não falta uma visão de totalidade nas manifestações artísticas atuais (como ocorre no pós modernismo)? não devemos, para recuperar a idéia de recusa, recupermarmos, antes, a idéia de totalidade?
bom, gostei de seu blog.
atenciosamente,
raca