sexta-feira, janeiro 23, 2009

Als das Kind Kind war...


Cena do filme Asas do Desejo (Der Himmel über Berlin), 1987.

Lied Vom Kindsein

"Als das Kind Kind war,
war es die Zeit der folgenden Fragen:
Warum bin ich ich und warum nicht du?
Warum bin ich hier und warum nicht dort?
Wann begann die Zeit und wo endet der Raum?
Ist das Leben unter der Sonne nicht bloß ein Traum?
Ist was ich sehe und höre und rieche
nicht bloß der Schein einer Welt vor der Welt?
Gibt es tatsächlich das Böse und Leute,
die wirklich die Bösen sind?
Wie kann es sein, daß ich, der ich bin,
bevor ich wurde, nicht war,
und daß einmal ich, der ich bin,
nicht mehr der ich bin, sein werde?"

"Quando a criança era criança,
era tempo destas perguntas:
Por que eu sou eu e não você?
Por que estou aqui e não lá?
Quando começou o tempo e onde termina o espaço?
Será que a vida sob o sol nada mais é que um sonho?
Será que o que vejo, escuto e cheiro não é apenas
uma miragem do mundo anterior ao mundo?
Será que realmente existe o Mal e pessoas malvadas?
Como é possível?
Eu, que sou eu, não existia antes de existir.
E, no futuro, eu, que sou eu,
não serei mais quem eu sou."

Lied Vom Kindsein, Peter Handke
in: Wim Wenders, Asas do Desejo
(Der Himmel über Berlin), 1987.

4 comentários:

Josenias disse...

Olá, Aléxia

Descobri estas belíssimas palavras recentemente, ao assistir o filme de Wenders/Handke de modo que mais do que imediatamente fui em busca dos livros de Handke (A Tarde de um Escritor, Memóridas de uma Infância, A Repetição). Assim, Handke revelou-se a mim (ao mundo, com certeza, desde há muito)um poeta/filósofo "par excellence" pois tem falado ao (meu) coração por intermédio destas três obras que já li, assim como ao coração de muitos.

Moro em Campinas, sou formado em direito e aprecio muito a filosofia. De maneira que a estudo desde o ensino médio.

Gostaria de dizer-lhe que seria um grande prazer tê-la como amiga em meu gmail (joseniasbelo@gmail.com).

Parabéns pelo belo blog e pela oportunidade de ler mais uma vez este singelo, mas não menos profundo, fragmento de Handke.

Cordialmente.

Josenias A. Belo

Aléxia Bretas disse...

Olá, Josenias!

Sim, Peter Handke (o poeta-filósofo, como você diz) é realmente incrível.

Obrigada pelo comentário e simpatia.

Abraços,

Aléxia

Gwavira Gwayá disse...

Aléxia, Asas do Desejo é um filme que me comove profundamente. A delicadeza do seu texto entrelaçada às imagens, os ritmos, as temporalidades, tudo articula poesia do começo ao fim.
Parabéns pelo seu blog. Com certeza serei sua leitora assídua! Um abraço.

Aléxia Bretas disse...

Asas do Desejo é um dos meus filmes favoritos. Obrigada pela delicadeza do comentário... e sinta-se em casa por aqui!

Abraços,

Aléxia